Demência Alzheimer x Perda Auditiva: qual a relação?

A Perda Auditiva e a Deficiência Cognitiva são duas condições distintas e relacionadas, em geral, ao envelhecimento. À medida que envelhecemos, as conexões entre as células do cérebro são danificadas. Esse processo é conhecido como Declínio Cognitivo e, se não tratado, pode resultar em Demência – doença cerebral que causa a diminuição da capacidade do raciocínio e memória.

Porém, além do envelhecimento, a perda de audição e as demências (Por exemplo, Alzheimer) estão comprovadamente relacionadas. Foi o que apontou o artigo científico publicado no The Lancet, uma revista renomada no mundo. O estudo foi apresentado em Hannover, na Alemanha. De acordo com a pesquisa, isso ocorre porque quando há perda auditiva os sons deixam de chegar ao cérebro e consequentemente, a falta do estímulo sonoro, a longo prazo, ocasiona o declínio da capacidade cognitiva, além da dificuldade de aprendizagem e no encurtamento das atividades cerebrais. Esse distúrbio pode provocar alterações como:

– perda de memória

– falta de atenção

– dificuldades relacionadas ao raciocínio lógico

O estudo foi realizado durante 25 anos com 3.777 indivíduos com idade a partir de 65 anos, com algum grau de deficiência auditiva. Foram avaliados 2 grupos, os que usavam aparelhos auditivos e os que não usavam.  O resultado foi um aumento na incidência da demência nos indivíduos que apresenta perda auditiva não tratada e menor incidência nos indivíduos que utilizavam aparelhos auditivos. Portanto, a conclusão foi que o tratamento das perdas auditivas, utilizando próteses auditivas ajudam a retardar o aparecimento das demências, como o Alzheimer e mantem o cérebro do idoso ativo.

Portanto, não espere para tratar uma perda de audição! O estímulo auditivo é muito importante. Quanto mais estímulo ao cérebro, melhor! A memória agradece!

Além, disso ouvir bem traz melhor qualidade de vida para conviver com os familiares, amigos, diminui o risco de depressão e de isolamento.

0 comentários